Holger: quintento gente boa prepara disco de estreia para 2010

[Para ler ouvindo: War]

[por Andréia Martins] – Amigos reunidos, um microfone na mão, laptop para gravar os encontros, palmas, versos soltos no ar e, claro, vinho para todo mundo dar uma relaxada e se soltar. Esse era o That’s All Folks, os primórdios do que é hoje a banda paulistana Holger, que depois de dar o que falar – no bom sentido – prepara para o meio de 2010 o lançamento do tão esperado disco de estreia.

Há muito tempo eles já não são aquele grupo de mais de 10 pessoas, usando o improviso e o bom-humor para cantar o que viesse na cabeça. Quando a brincadeira chegou ao fim, cinco deles decidiram pegar as músicas que mais gostavam e tocá-las como uma banda de verdade. Estava formado o Holger.

Nos tempos do That's All Folks: consegue achar os garotos na foto?

De lá pra cá, cerca de dois anos, a banda, continua com o improviso e o bom-humor, é uma das mais bem faladas no cenário alternativo, já foi indicada como o melhor show do ano pelo Guia da Folha (suas apresentação são descritas como uma festa) e ao VMB, da MTV. Depois, bastou marcar presença em diversos festivais Brasil e mundo a fora para ganhar visibilidade.

Ao gravar o primeiro EP, The Green Valley (clique aqui para baixar), os então amigos se descobriram como banda e decidiram levar o projeto adiante, nos contou Pata em entrevista por e-mail, mantendo a ideia da participação coletiva. No Holger, não há um líder. Todos cantam. A criação é livre e unida. As guitarras, baixos e teclados circulam de mãos e mãos, dependendo da  música.

Em pouco tempo, a banda já mostra uma evolução técnica e musical que, para algumas bandas que começam de um jeito meio sério, meio na brincadeira, demora a acontecer.Talvez isso seja resultado das experiências acumuladas pelo quinteto, que mesmo com pouco tempo de estrada, já subiu ao palco dos festivais internacionais South By Southwest (SXSW) e Pop Montreal.

“Fizemos a inscrição e fomos selecionados para três shows no festival, que nos trouxeram, principalmente, experiência de palco e turnê. Fomos ao SXSW muito mais como público do que como banda, e sem dúvida essa ida mudou completamente os parâmetros musicais e de shows da banda. Aquele festival é um grande sonho”.

Já o convite para o Pop Montreal aconteceu depois dos organizadores assistirem ao tal show-festa da banda no Goiânia Noise e no Popload Gig. O Holger foi convidado para dois shows, entre eles, a abertura dofestival ao lado de Matt & Kim e o Ninjasonik.

O aguardado primeiro disco

Para os mais íntimos, o Holger é o ursão. Tudo por causa do simpático urso da capa do EP Green Valley. A autora é a amiga Bruna Canepa, do Homiepie.

Quem conhece as músicas do primeiro EP – com influências folk, country, indiepop e o neofolk  espalhadas por faixas como a ótima War, Brand New Shirt, The Auction, entre outras – vai notar as mudanças no som da banda logo nos primeiros  acordes.

Com mais shows e ensaios, a evolução técnica é nítida.Quanto à sonoridade, as novas músicas como No Brakes e as demos Helsinki Days, Caribean Nights e Undersirable Regrets, disponíveis no My Space, trazem uma pegada mais dançante e boas pistas do que podemos esperar desse primeiro disco.

“Abrimos mais a cabeça musicalmente nas músicas novas, colocamos muito mais influências nas novas composições. Não existe uma preocupação em seguir um estilo estritamente definido, fazemos o que estamos sentindo e sem preconceitos. O que acabou acontecendo foi uma renovação do estilo que vinhamos tocando no Green Valley, que tinha uma raiz muito mais folk. Hoje em dia músicas africanas, eletrônicas e mais dançantes fazem muito mais nossa cabeça”, conta Pata.

O disco deve sair no meio de 2010. “Já fechamos com o produtor e estúdio para fevereiro. Estamos muitíssimo felizes e ansiosos para entrar no estúdio. Enquanto isso estamos ensaiando todos os dias”, diz Pata sem revelar o nome do produtor. Segredinho guardado a sete chaves.

Enquanto o disco não sai, você pode conhecer mais do Holger no MySpace –  She Dances é a dica de Pata. Na sequência, assista ao videoclipe da música The Auction, o único oficial da banda, feito no esquema amizade e colaboração, pela turma da Geral Filmes, e diversão e cansaço pelos próprios integrantes.

“Os dois takes são planos sequência e, para conseguirmos o efeito dos movimentos rápidos, gravamos com a música 50% mais lenta, o que nos dava nove minutos para ficarmos lá dançando. Obviamente nenhum dos dois planos foi feito de primeira, então passamos o dia inteiro fazendo a cena. Nota-se a mancha de suor nas costas do Pepe no plano de cima”, entrega Pata.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s